Amar prova a Deus...

“Diante dessas situações dá vergonha ser um ser humano” Luis Lima, nadador brasileiro.

Essa frase foi dita há alguns meses atrás numa reportagem que a TV Globo exibiu no “Esporte Espetacular”, sobre a reconstrução do Haiti após o terremoto que assolou o país no começo do ano passado. Luis Lima a pronunciou numa favela (sem bem que não se pode comparar aquilo a favelas, aquilo era o inferno), conhecida como “Cozinha do Inferno”. A matéria era sobre a participação do Exército brasileiro no apoio à população haitiana através do esporte. E por isso, além de Luis Lima, o medalhista olímpico Claudinei Quirino, também fez parte da comitiva que participou das gravações.

Acredito que não preciso perder tempo descrevendo esse lugar, seu nome já o denuncia por mim : “COZINHA DO INFERNO”, não há nada mais horroroso, degradante, humilhante, nojento e asqueroso que aquele lugar. Nunca tinha visto seres humanos numa situação tão deplorável. Isso gerou uma revolta em todos que assistiram à matéria, e também no nadador brasileiro. Sei que como brasileiro me senti representado pelos atletas e pelos militares que procuram de alguma forma minimizar o sofrimento e oferecer alguma esperança para um povo já possuído pela desgraça.

Mas a passagem de alguns poucos homens bons que procuram ajudar, não apaga a realidade que terá de ser enfrentada por aqueles que dependem daquele lugar para sobreviver; tampouco faz com que as mazelas que poderiam ser tratadas e/ou amenizadas através da intervenção de homens que detém poder político sejam realmente sanadas, ao invés de evidenciadas pela corrupção e desdém de uma porca maioria dominante.

Essa mesma reportagem fala ainda do Maurice(o garoto da foto), um menino haitiano de seis anos de idade que corre quilômetros para ganhar algumas bananas como prêmio por completar a prova. E termina com uma pergunta: “Se Maurice corre tantos quilômetros por algumas bananas, o que ele não faria por um prato de comida?”. E responder essa pergunta aguça nossa criatividade e nossa solidariedade.

As vezes dá vergonha ser um ser humano, outras vezes somos inundados pelo sentimento contrário: “ orgulho de ser gente!” e talvez vivamos nesse maniqueísmo por toda nossa vida.

Ontem e hoje fui devastado interiormente por duas demonstrações de altruísmo e desapego material que deixaram abalado, me fizeram chorar e me catapultaram a uma esfera de crença no amor que talvez nunca tenha experimentado.

Ontem, uma mulher trocou alguns legumes por uma abóbora moranga, e mesmo diante da reprimenda de que não seria necessária a troca pelo recebimento do que ela queria, nós ouvimos: “não, eu prometi dar os legumes em troca da abóbora, vou fazer o que falei, meus legumes vocês podem dar para outra família”. E não foi uma pessoa pobre quem disse isso, foi uma miserável. Alguém na mesma condição social da mulher de hoje, que, mesmo sem dinheiro para o vale transporte do filho, deu mais da metade do pouco que tinha para ajudar outras famílias em pior estado que ela.

Isso mexeu comigo.

Mexeu porque me fez ver que o ser humano ainda carrega dentro de si um valor que só pode ser chamado de: “Deus”. Só Deus pode fazer com que o homem ame em qualquer condição, sob qualquer situação, porque só Deus é amor.

Amar é me tornar mais parecido com Deus.

Glória a Deus pelos que amam, porque eles me ensinam que Deus existe e que vale a pena obedecê-lo.

Ao Deus do amor minha gratidão eterna...


PS: Ainda essa semana posto mais sobre esse assunto...(não queria virar o mês sem nenhum post)

Comentários

Com certeza Pr. Ludyney. Amar prova a Deus e é por amor a Ele q tb nos achegamos no seu trono. Parabéns pelo Post. Gostei...
Gostei do post. o Amor traz à tona a presença de Deus.