Resposta ao amigo anônimo...

Eu adoro ser contrastado,  com frases do tipo: “eu não penso assim, por causa d...”, “eu acredito dessa forma, porque...”, concordo que na discussão de idéias contrarias pode nascer um nova consciência mais rica e salutar, tanto para o que afirma, quanto para o que nega. Antes, quando eu era menino, eu era um dicotomista que usava dos argumentas tricotômicos para apoiar minha tese dual. Ou seja, na discussão, às vezes acalorada, nascia uma série de argumentos tanto para mim quanto para o “oponente”. Havia crescimento.

Fiquei muito feliz ao saber que meu blog ultrapassou 3300 visitas (depois do livro quero começar a ganhar algum trocado com ele). E fico mais feliz ainda quando recebo um comentário de alguém que não faz parte do meu círculo de conhecidos, ou que pelo menos não se identifica como tal. Porém, não gosto de rebater comentários anônimos. Gosto de conhecer com quem debato (“conhecer o oponente”, diria Sun Tzu). A maioria dos que comentam sem se identificar eu nem aceito, principalmente quando é elogio, porque pode parecer que criei e coisa e tal.

Hoje recebi um comentário meio “acusativo”. Dizendo que eu me desvio da verdade e distorço a Palavra. Em virtude, creio eu, do texto “O Deus Papai Noel”, no qual afirmo que evangélicos acreditam que Deus os premia de acordo com a temporada vivida, tipo como age o “bom velhinho”, sem levar em conta que Deus age pela graça, de acordo com a sua (a dEle) soberana vontade. Quem sou eu na ordem do dia!?!

O problema, meu amigo anônino, não que eu distorço a "palavra santa", ou desvio a sua "verdade", o real problema é que a gente quer entender Deus de uma perspectiva humana. Vocês, evangélicos (alguns esquizofrênicos) têm a certeza que Ele age mais ou menos da forma como eu, ou você,  agiria. É como se o cara assistisse “O Todo Poderoso”, com Jim Carrey, e achasse que ser Deus é exatamente como interpretou Morgan Freeman. Mas, meu amigo anônimo, eu tenho uma triste noticia pra você:  Deus não é Morgan Freeman, e você nunca poderá ser Jim Carrey, o substituto de um Deus em férias!

Portanto, aceite a GRAÇA como ela é. Sem reservas, sem explicações, sem meias verdades, sem abluções, sem sacrifícios, sem doutrinas, sem holocaustos, sem interpretações e sem pecados.

A GRAÇA, meu irmão anônimo, não precisa de mim ou de você para acontecer. Ela é fruto do AMOR INCONDICIONAL de Deus pela humanidade, e isso inclui você e eu. Eu aqui cheio de imperfeições, feridas, vícios e pecados, e você ai buscando ser semelhante ao varão perfeito, ambos somos amados da mesma forma por Deus.

Eu, infiel, sou agraciado diariamente por sua benção e fidelidade. Me alimento bem;  no frio tive agasalhos e cobertores de sobra, o sol nasceu para mim todo dia; me faltou a grana, mas me sobrou saúde para trabalhar, me falta igreja, mas me sobram amigos. Eu sou uma amostra ambulante da graça de Deus. Às vezes tenho vontade de negá-lo e largar tudo, ainda sofro por aquilo que a igreja me fez, mas na minha infidelidade eu não o nego, sigo crendo na esperança que ele me prometeu.

Você, fiel, amigo anônimo, sofre talvez até mais do que eu, e pode até ter mais bens do que eu, mas a paz e a segurança de vida eterna que eu carrego em meio à minha vida infiel, essas eu duvido que você tenha mais do que.

Por mais que os cristãos beatos duvidem, Deus ama a mim, você, Fernandinho  beira-mar, Osama Bin Laden, Sadan Hussein, e o insignificante detento no Himalaia da mesma forma.

Isso é  a graça brother.  Queira você ou não. Entenda eu ou não.

Cara, você me despertou a falar sobre a GRAÇA. Daqui a pouco vem mais...

Soli Deo Gloria

Comentários

Anônimo disse…
Amém por isso meu amado irmão! Para não criarmos uma discussão em pleno blog, mandarei mais de minhas opiniões diretamente em seu email, creio q deva ter em algum lugar da página. Não estou falando sobre a GRAÇA, pois sei e creio sim que Deus nos ama a todos. O que não concordo em suas palavras é voce praticamente dizer que nao importa a vida da pessoa! ela irá aos céus da mesma forma!. O que suas palavras passaram foi isso, agora se voce se expressou mal - (e se voce realmente assim o fez espero q reconheça e tenha humildade..esqueça o ego.. pois a glória é para Deus e não para nós mesmo)- vamos conversar mais sobre isso.
Luís disse…
nao podemos deixar nos abater por aqueles q se satisfazem em tentar desmerecer os outros sejam esses outros quem forem...eu nao sou crente...ja tive decepções dentro da igreja católica em experiências minhas mesmo...mas acredito q essas pessoas q tentam usar o nome de deus em vão e se igualarem a ele e no mínimo uma forma dessas pessoas se afastarem da sua realidade e atirarem pedras aos q indagam, refletem, estimulam o humano a ser cada vez mais humano, com falhas mas com capacidade de aprender sempre e tirar uma lição dos erros para q esses erros não se repitam jamais...