Estou com um certo receio...

Diante do futuro às vezes ficamos meio temerosos, ainda mais quando o passado no qual confiamos nossa vida e nossa força se esvai sem deixar nenhuma raiz para nele nos agarrarmos. Me entende? Vou tentar explicar melhor.

No meu caso está acontecendo assim:

“Estou prestes a iniciar numa carreira profissional que nunca me imaginei trabalhando, mas que apareceu de forma muito inesperada, me deixando ,se não muito, ao menos um pouco empolgado (coisa que não acontecia há mais de ano). Eu falo, escrevo, choro e grito pra todo mundo ouvir que sempre quis, quero e serei alguém que vive de pregar (e escrever) o evangelho. Todavia, isso não me é possível hoje. Por uma série de razões maiores do que eu, superiores ao meu poderio bélico, não pude resistir e me rendi. Perdi a guerra contra o sistema podre e corrompido que domina a pregação do evangelho, a parte estragada da igreja que detém a hegemonia eclesiástica. É. Eles me venceram. Deste modo, não me restou outra alternativa a não ser “partir pra outra”, e essa “outra” é o futuro que começa a se desvendar em 2009 para este miserável que escreve estas linhas. Mas não era o futuro minha linha de chegada, tampouco meu sonho infantil ou minha ambição-mor, o passado sim era tudo que anelo e anelei, só que este não me deixou nada. Imagine uma tragédia, como num naufrágio, onde os sobreviventes se agarram nos cascos da embarcação para sobreviver, ou como um banhista que para não se afogar se agarra às raízes dos barrancos na beira do rio; foi assim para mim, sem  casco ou barranco para me agarrar: tchubum!!!! Afundei! Morri”

Me entende agora?

No desespero, foi procurar ouvir  o que Deus disse, e li: “que Deus, o Pai, e o Senhor Jesus Cristo dêem a todos os irmãos a paz e o amor, com fé. E que a graça de Deus esteja com todos os que amam o nosso Senhor Jesus Cristo com um amor que não tem fim!”.

Só isso!

E entre este parágrafo e o anterior (o que cito o texto de efésios) há um intervalo de aproximadamente cinco horas, nesse meio tempo aconteceu algo, no mínimo, estranho. Sai de casa rumo ao futuro, para assumir o desconhecido, para fechar os detalhes da minha contratação nesse novo ramo profissional. E o que aconteceu? Mudou tudo (nem tudo, só estou dando mais ênfase. Na verdade mudaram poucas coisas), o que me deixou um pouco mais em paz. Tá ai: PAZ!

O Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, pode me dar PAZ!

Muito provavelmente você já se sentiu como eu, confuso, medroso, temeroso, incapaz de vencer, incompetente diante do futuro que se lhe abria as portas. O que, talvez, nos diferencie é isso: PAZ, não uma simples PAZ, mas aquela que vem do Deus encarnado, de Jesus, do Cristo, do homem sofredor, do servo miserável, do Messias crucificado, do cara que me entende, pois já sofreu como homem, sofrimento este maior do que este que sinto agora. É essa a PAZ que eu preciso.  Como diz a música do Rappa: “Essa é luz que eu preciso: Luz que ilumina, cria e nos dá juízo”.

A PAZ que eu preciso é aquela que me oferece Luz, conforto, coragem, segurança e esperança. E isso eu tento ter.

Pelo menos sigo tranqüilo quanto ao futuro da era vindoura. Estou Salvo. Viverei ao lado do Deus encarnado, do Servo sofredor, do Deus-Homem-Deus. A PAZ que emana dele já fez morada atemporal em mim; pode até ser que viva às vezes moribundo e intranqüilo, mas na plenitude final, na parousia, ai então experimentarei a totalidade da paz e do amor quando o que é perfeito vier.

Então “se o medo vier, se a tristeza vier, bota pra correr” (ouvi isso num Rap por ai). E eu ainda estou com um pouco de medo. Claro, eu não sei o que me espera, natural. Vou enfrentar. Eu perdi a guerra para a sujeira denominacional depois de ter lutado muito, até a morte (espiritual). Não é por algo que não vale a eternidade que vou deixar de lutar, mesmo com medo, afinal sou um homem, que confia, crê e ama como criança.

Conquanto, se eu morrer sem concretizar o sonho de viver do evangelho, ao menos eu morro convicto de que vou para um lugar onde não se precisa pregar, pois todos vivem em amor.

Medo maior foi me deixar corromper pelo sistema fétido e pútrido no qual se encontra a igreja evangélica brasileira (é claro, miserável –queria dizer mesmo ‘idiota’-, que há exceções). O Deus que me livrou do corrupção há de me conceder graça. E eu sei que Ele me dará. Pois eu sei que se não fosse sua misericórdia eu nunca viveria para escrever essa baboseira aqui, pois eu também estou fétido e podre, não pelo mal uso que faço da graça, mas pela distância que estou dos que vivem dela.

Já que Ele me deu PAZ, que Deus tenha misericórdia de mim (se você precisar, peça isso também).

Soli Deo Gloria

Comentários

simone disse…
eh ludy...vou tentar buscar sempre tb..essa paz..essa luz,conforto e sabedoria e seguir em frente,se o passado um dia foi bem mais confortavel do que hj....agradeço e detesto ao mesmo tempo,pq sei que a batalha soh esta começando!!
misericordia de mim,senhor!!
bjo saudade
Loruama disse…
Paz!Seja contigo!
Que bom que voce encontrou a Paz ,pois no meio da tormenta ela e a nossa luz no fim do tunel.
Meu irmão descanse em Deus pois ao seu tempo Ele te levantara para gloria Dele e edificação da sua igreja na terra.Pois embora o sistema estaja podre,Deus esta acima do sistema.
Um abração.
Prª.Cida