Coisas de fariseu...


Você está assim porque está em pecado!”
Quem nunca ouviu essa besteira??? Besteira dita por gente ignorante, na sua maioria fariseus que se acham o primor da santidade, e o exemplo da benevolência. E em algumas vezes, gente ignorante mesmo, pura e simples, que ainda não entende o valor da vida, e a pequenez do ser diante da imensidão do Criador.
Gente como os discípulos: “– Mestre, quem pecou? Este homem ou seus pais?” (Jo 9:2). Pelo menos quando eu leio isso na bíblia não consigo enxergar maldade nas palavras dos apóstolos, eram homens em tratamento de choque, vivenciando diuturnamente o amor e a caridade, ao lado do Deus encarnado. Ao dizer isso eles simplesmente expunham um pensamento comum à época, infelizmente comum até hoje.
Essa idéia do mal pago com mal, também conhecido teologicamente como “Dogma da Retribuição”, é uma chaga na alma cristã, e isso desde antes do próprio Cristo. Os amigos de Jó criam assim, e até os irmãos de José pensaram de tal modo: “Ele fez por merecer”. Não é algo novo, mas é milernamente um engodo.
A resposta de Jesus aos discípulos ali pertinho do tanque de Siloé deveria ser o axioma a ser crido e vivido por sua igreja: “– Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo”.
Olha a verdade ai: “NINGUÉM PECOU”. Para o crente e sua teologia do medo e da repressão, a tragédia é fruto do pecado, como diria o Caio, e o mal juízo de Deus sobre o homem. Que Deus mal, implacável, sádico e...pequeno, sim, pequeno, porque alguém que paga dá a um inimigo o pagamento na mesma moeda que recebeu é pequeno, medíocre. “Se ameis apenas os que vos amam, que vantagem há nisso, até os pagãos agem assim” (isso está no seu livro preto, aquele que você não lê seu seu “ídolo sacerdote” (Pe., Pr., Frei, PdS, etc, pois não conseguirá interpretá-lo).
Não é porque nós, em nossa pequenez, agiríamos seguindo o código de Hamurabi que Deus também faria o mesmo. Deus é amor. E o amor tudo sofre, tudo suporte, tudo espera, tudo crê e o amor perdoa. E Deus é amor, logo Ele é perdão e...? vamos lá, você sabe...quem espera,sofre e suporta e ainda te perdoa tem por você? ...Isso mesmo: MISERICÓRDIA.
O ser religioso cristão pensa, e o pior, diz:
“Está desempregado porque não devolve o dízimo!”, quem é você miserável para me julgar? Na sua igreja eu não dou o dizimo mesmo. Eu sei que seu pastor irá desviá-lo, na melhora das hipóteses utilizá-lo de maneira que não agrada ao Cristo, se ao menos vocês alimentassem o pobre e cuidassem da terra. O maior dízimo que podia dar eu já dei, minha vida. E quando me sobra dinheiro, quando Deus me dá algo mais do que preciso para sobreviver, então eu compartilho. Quando não, compartilho minha vida, minhas forças, e o evangelho da graça de Deus que carrego vivo em mim. E continue me julgando, pois mesmo sem gostar de você eu sigo te amando, me bata numa face, que, para sua surpresa, sempre te oferecerei a outra.
“ah, ta doente? Bem feito, com Deus não se brinca!”, o infeliz tem coragem de agourar o próximo e ainda consegue “adorar” a Deus no domingo na reunião social dos cristãos, seja ela qual for, missa, culto, iniciativa, reunião ou encontro. Num primeiro momento confesso que vibrei de forma muito contida com o desabamento do teto da Renascer em São Paulo, até então não sabia das mortes nem dos feridos, mas depois começaram a aparecer os corpos e eu tive vergonha de mim. Como pude ser tão crente? Como pude vibrar com a desgraça alheia? Seguidores de um seita ou não, eles são humanos, meus próximos, e mesmo longe tenho de amá-los, com o mesmo amor com que fui amado pelo Cristo.
Agora, se fosse um teto de um terreiro de umbanda, ou de uma catedral católica muitos evangélicos vibrariam, creditando a Deus a tragédia. “Viu!, quem mandou profanar o nome do Senhor e adorar outros deuses!”, celebrariam da mesma forma que os católicos celebravam quando apedrejavam e expulsavam os crentes no interior do Brasil, há bem pouco tempo atrás. Ou seja, ninguém é melhor que ninguém. Ninguém faz nada novo. O ódio já existiu, apenas será vivenciado num outro lado, por outro grupo.
Quanto ignorância.
Pra terminar. Vamos ver de novo o que Jesus respondeu, e seu amado apostolo registrou: “– Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo”.
Quando lhe apresentarem males, tragédias, desastres, doenças, ou simplesmente um coração triste, brilhe! Use o momento para manifestar as obras de Deus. Seja um herói para alguém. Enquanto Jesus estava no mundo, ele disse “eu sou luz do mundo”, mas também disse “vois sois a luz do mundo”, nós que “fomos revestidos de poder do alto”. Aproveitamos enquanto é dia para fazer a diferença em nome do amor e de Deus.
Não seja um cristão babaca. Por favor, numa mais diga essas besteiras: “Está assim porque não deu o dizimo”, ou “bem feito, quem mandou tentar Deus?”, ou pior ainda “isso comigo não acontece, porque eu sigo o que a igreja fala”. E quando a tragédia acontecer a você. Tenha certeza, um dia ela vai chegar. Então, você olha para sua vida, faz um check-up interior e descobre que nada fez para merecer aquilo, e diz: “– O que foi que eu fiz para merecer isto?”.
E a resposta será: nada, “foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus”.

Soli Deo Gloria
PS: Tem muito mais disso no meu livro...em breve lançamento!

Comentários

Luís Lemos disse…
É isso aí Ludyney, concordo com você, as pessoas se acham melhores que as outras, muitas vezes estão dentro de suas igrejas querendo o que é do próximo ou simplesmente por pura inveja desejando o mal. Quanto ao seu livro, vá em frente meu amigo.